486

A Música e o Ser Humano

486

Ao longo da historia a música vem desempenhando um papel importante no desenvolvimento do ser humano seja ele em seu aspecto religioso, cívico, social, cultural e educacional. A música acompanha o homem a mais de 30.000 anos segundo dados arqueológicos que remontam a história do homem primitivo ao serem encontrados vestígios de instrumentos musicais, pinturas em cavernas, dentre outros registros que nos levam a essa afirmação. Vanda Freire (1992, pg. 25) diz que:

Os documentos básicos dessa fase pré-histórica são instrumentos musicais, esculturas e pinturas, através dos quais podem ser levantadas hipóteses que buscam reconstruir os acontecimentos musicais do período. Também têm sido úteis as observações desenvolvidas em comunidades contemporâneas ágrafas, que nos permitem, a partir de comparações chegar a algumas conclusões importantes sobre a pré-história musical da humanidade.

Nessa ótica, apesar de não saber até que ponto a música era importante para o homem e de que forma ela era exatamente usada, percebemos o quanto a mesma foi presente na vida do homem pré-histórico. E assim, a música caminha junto a evolução do homem ao mesmo tempo que ele evoluía, se adaptava, transformava e  se ressiguinificava. Na idade dos metais, por exemplo, passou-se a construir instrumentos com essa matéria prima e isso com certeza, influenciou na sonoridade do instrumento desde a descoberta de novos timbres, tessitura e principalmente em sua intensidade. Nesse processo, a música passou a ser parte integrante de varias atividades, nessa perspectiva, Vanda Freire (1992,pg. 27) diz que:

Cantos heróicos, casamentos, banquetes, lamentos fúnebres eram assim acompanhados. Instrumentos musicais de sopro eram utilizados para afugentar o perigo ou o mal, para chamar a comunidade para o culto ou estimular guerreiros para o combate. O poder mágico da música era, então, grandemente considerado, tal como atestam reminiscências em antigos contos e lendas.

Logo após a idade dos metais, surge o que seria o grande marco das civilizações, a descoberta da escrita. Isso possibilitou o surgimento do registro da historia da humanidade marcando a separação entre historia e pré-história, além disso, nesse período surge também na música os primeiros tratados teóricos musicais. Isso tornou a música e seus executantes cada vez mais valorizados, uma vez que, os registros que estavam começando a se desenvolver por causa da evolução da escrita, eternizaram canções, músicos, interpretes e compositores. E nesse caminho, a profissão musical passa a ser desenvolvida de “forma” organizada em que os Sumérios e Egípicios foram os pioneiros na valorização do músico como profissional.

Na Grécia antiga, por exemplo, a música estava relacionada a diversos fatores que influenciavam o comportamento das pessoas: seus sentimentos, seus costumes e valores, pois era considerada um fenômeno de origem divina, que envolvia a magia à mitologia, havendo varias histórias que relacionavam a música, suas capacidades e funções. Segundo Loureiro (2003, p.34):

A paixão dos gregos pela música fez com que, desde os primórdios da civilização, ela se tornasse para eles uma arte, uma maneira de pensar e de ser. Desde a infância eles aprendiam o canto como algo capaz de educar e civilizar. O músico era visto como o guardião de uma ciência e de uma técnica, e seu saber e seu talento precisavam ser desenvolvidos pelo estudo e pelo exercício. O reconhecimento do valor formativo da música fez com que surgissem, naquele país, as primeiras preocupações com a pedagogia da música.

Nesse sentido, a música desenvolveu papel importante na formação do ser humano daquela época principalmente pelo seu valor educacional em que a mesma foi utilizada. Nesse período, não se pode deixar de falar a considerável influência sobre o pensamento grego que as idéias de Pitágoras tiveram naquela sociedade e no fundamento inclusive das doutrinas de Platão, sendo a música para ele, um dos pilares da educação.

Na Idade Média, a música também desempenhou papel importante na sociedade, sendo fortemente influenciada pela Igreja Católica que “ financiava” a produção musical. A cerca disso, Loureiro (2003 pg.38) acrescenta que;

Durante a Idade Média, a Igreja Católica demonstra grande interesse pela música incluindo-a nos cultos cristãos, pois acreditava que ele fosse capaz de exercer forte influencia sobre os homens. A Igreja encorajou o estudo e o ensino da música como disciplina teórica inserida no domínio das ciências matemáticas, por isso ela se situa ao lado das disciplinas aritimética, geometria e astronomia.

Essa forma de utilização da música, assim como reconhecimento do seu valor formativo, havia sido influenciada pelos gregos, a igreja apenas adaptou estes princípios aos seus ideais que se propagaram durante séculos e séculos na tentativa de formar “bons cristãos”. Por conta disso, a educação musical nas escolas até o século XVIII foi utilizada com fins religiosos e a partir desse período desenvolve-se meios acadêmicos e um outro modo de educação musical muito mais preocupada em respeitar a natureza humana, a sensibilidade no processo de construção e formação do ser humano e da liberdade de expressão e criação.

Sendo assim, da Idade Moderna até os dias atuais muitos estudos foram e estão sendo direcionados aos “poderes” da música que partem de diversos campos como a medicina, psicologia, terapia, educação, social, entre outros, que são utilizados pelo homem há milhares de anos. Com os avanços da ciência e tecnologia esses estudos ganharam outras dimensões e novas vertentes ampliaram assim os horizontes da música junto à história da humanidade. Assim, observa-se que o uso dos recursos que a música propicia em diversos campos está diretamente relacionado com a vivência que o ser humano tem com essa arte há milhares de anos, podendo explorá-la de diferentes formas.De acordo com Sekeff, (2002, pg. 67), a música:

Considerada pelos antigos uma poderosa força mágica e hoje, à luz de avançadas pesquisas cientificas, uma força fisiopsicológica, a música constitui ferramenta auxiliar da educação, da mesma forma que participa de tratamentos recuperativos, integrando programas de desenvolvimento de condições físicas e mentais do indivíduo (sem prescindir da conclusão racional de outras disciplinas médicas, paramédicas e psicológicas).

A partir dessa leitura, é correto afirmar que a música por si só exerce uma atividade multi-direcional aos seus ouvintes e executantes, agindo de forma “interdisciplinar”, uma vez que, ao mesmo tempo que ela funciona como uma poderosa ferramenta de ensino-aprendizagem, atua em campos terapêuticos e medicinais na ajuda e no desenvolvimento de condições físicas e mentais. Por outra vertente, de acordo com essa reflexão, a música dentro da escola inclusiva, por exemplo, pode atuar tanto de forma educativa como no desenvolvimento de habilidades motoras, cognitivas e psicológicas tão necessárias as esses educandos.

Sendo assim, a música na educação,  é de fundamental importância, pois, contribui para o desenvolvimento integral do ser humano. Paralelamente, a esta conscientização da importância da música na vida do ser humano e consecutivamente para educação no pleno desenvolvimento de crianças, jovens e adultos, entrou em vigor a Lei nº 11.769, de 18 de agosto de 2008, que estabelece a obrigatoriedade do ensino da música nas escolas de educação básica em todo o país, a partir de 2012. Com certeza este fato amplia o campo de inserção da música na sociedade, trazendo maior visibilidade para este componente curricular. Segundo Victório (2011, p. 20), “Uma educação musical preocupada com a música enquanto prática multicultural e diversificada demonstra estar comprometida com os maiores objetivos de uma Educação centrada no ser humano”.

Nessa perspectiva, atualmente a música vem ganhando mais espaço nas escolas e salas de aula. Por isso, os professores de música devem aproveitar este momento histórico e promover uma educação musical que esteja em acordo com os anseios do povo brasileiro, respeitando cada local, cada cultura, trocando informações e criando novos significados, para que se possam deixar de lado, velhas praticas de “educação musical” que apenas propõem apresentações em datas comemorativas ou aulas de recreação. Assim, será possível explorar essa grandiosa ferramenta de ensino-aprendizagem que acompanha o ser humano desde o seu surgimento, sendo parte essencial na formação das diferentes civilizações e culturas no mundo inteiro.

 

Referências:

FREIRE, Vanda Lima Bellard. Música e sociedade: uma perspectiva histórica e uma reflexão aplicada ao ensino superior de música. Rio de Janeiro: ABEM, 1992.

LOUREIRO, Alícia Maria Almeida. O Ensino da Música na Escola Fundamental.

Campinas, SP: Papirus, 2003.

SAMUEL. Português.in:Bíblia Sagrada. Tradução de Ivo Storniolo e Euclides Martins Balancin. São Paulo: Paulus, 1990. P.288-344. Edição Pastoral. Bíblia.

ZAMPRONHA, Maria de Lourdes Sekeff. Da música, seus usos e recursos. São Paulo: Editora Unesp, 2002.

22 thoughts on “A Música e o Ser Humano

  1. Bacana a hstoria da música aí nos trazendo um número muito grande de informações para enriquecer nossos conhecimentos! Gratidão! Que o Coral cumpra sempre esse papel de celebrar e eternizar momentos de grande valor na vida das pessoas! !

  2. Sem dúvida é uma das linguagens em que o ser humano se comunica de diversas formas em várias regiões. A Música. Sem ela não vivemos. A relação que começa desde a formação do ser no ventre materno, extendendo-se até a a formação do ser humano na sociedade, traduz a forma de viver, de ser, vestir, falar, dançar e exprime a cultura popular de um determinado povo.
    Parabéns professor Sandro pela iniciativa. Tive a oportunidade de ser seu aluno e agradeço como isso modificou minha forma de ensinar a música na escola. Vale a pena conferir.

    • Valeu Rafa! Eu só fui 2% do seu processo, apenas abrir seus olhos pra você enxergar o seu “eu” educador que estava precisando desabrochar. Eu fico muito feliz em ver o seu entusiasmo e sempre o querer fazer. Muita luz! E muita paz meu irmão!

  3. Conheço o Trabalho do Professor Sandro de Perto! CRIATIVIDADE é a sua marca!
    Parabéns pela iniciativa de compartilhar saberes com nós Educadores e um pouco de teoria sobre este assunto tão antigo ,mas com fundamentação teórica pouco conhecida.
    A a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB 9.3i4/96) aponta que a Educação deve cumprir um triplo papel,ou seja de ordem econômica,científica e cultural,bem como de estruturar em quatro alicerces :aprender a conheer,aprendee a fazer, aprender a viver e aprender a ser…
    Bom que a escolas percebam o papel da música nesta contesto,pois como diz (Bacherlard,1o96,p.159) “O ser humano é naturalmente um fator de interiorizacão privilegiado.Parece que o homem pode sentir e conhecer diretamente as propriedades íntimas de seu físico. A OBSCURIDADE do Eu sinto predomina sobre a clareza do eu vejo.O homem tem consciência de ser,por seu corpo tomado de um vago sentimento,uma substância”. ..
    A música é esta substância que pode povoar o ser de sentimentos,além de ter o poder de desenvolver várias habilidades e competências!
    Viva a música e ao seu poder!

  4. Muito bom trabalho Sandro, admiro vc porque assim como eu tem essa paixão pela música e sua história… Continue nos enchendo de coisa boa!! Abraço irmão!!

  5. Parabéns Sandro !A cada dia percebo o seu compromisso com a educação se aperfeiçoando. A música faz parte da sua respiração, sei que lhe acrescenta muito como pessoa e como profissional,apresentar a musica como mais uma ferramenta para o desenvolvimento do ser humano e das crianças em especial. Sucesso sempre!!!!

  6. Amei o texto!! Muito bom para os estudantes de música como para quem aprecia a arte.
    Estou adorando o blog. E os vídeos no you tube estão ótimos.

  7. As crianças aqui no colégio Lavoisier Master, falam até hoje sobre o trabalho que fez com elas. (Cruz das Almas-BA)
    Sobre seu blog… Gostei muitíssimo!
    Parabéns!

  8. Legal esse histórico da música! Ela tem acompanhado os homens desde a pré-história, tornando-se um elemento característico do ser humano.
    Música é a combinação de ritmo, harmonia e melodia de maneira agradável aos nossos ouvidos, assim, devido ao seu ritmo, reflete-nos na capacidade de relaxar, alegrar, emocionar e fazer-nos mais felizes.
    SALVE A MÚSICA!!!!!

  9. Que bom Sandro, vou contribuir na divulgação do seu blog sim. Ah, gostei muito do seu texto, traçando com brevidade do percurso histórico da música, principalmente por você lembrar da importância da música no processo de desenvolvimento das pessoas com necessidades educacionais especiais. Viva a inclusão! Parabéns…

  10. Gente muito obrigado pelos comentários. Fico feliz em saber que meu trabalho é reconhecido por vocês e me faz sentir entusiasmado pra criar mais, publicar mais e me envolver ainda mais na música e em especial na educação musical.

  11. Prof. Sandro,
    a história da música mostra o quanto o ser humano tem sua origem ligada a sonoridade e como é importante a educação musical para o crescimento sócio-cognitivo. Admiro seu trabalho junto às crianças da Escola Despertar mostrando a música como um exercício de cidadania que contribui para o desenvolvimento sustentado.
    Parabéns por sua dedicação.

  12. Como meu amigo é sabido!!! Adoreiiiiiiiiii !!! E a música é mesmo perfume como diz Bethanea e digo mais é o ar que respiro, que vida sem sentido sem este alimento para a alma humana que toca, sensibiliza, aflora, molda e sim EDUCA. Bravo amigo!!

  13. Tive minha primeira aula de música com o Professor Sandro como aluna da Escola Despertar. Assim como qualquer outra criança, tive o interesse em aprender a tocar violão, porém acabei pedindo uma guitarra. No início, minha mãe pensou que seria só mais uma daquelas “invenções” de criança, mas, com o tempo, ela viu que eu e meu irmão estávamos dispostos a levar a coisa a sério. Entrei no mundo da música por curiosidade e hoje eu olho para trás e me arrependo de não ter entrado antes, a pesar de ter começado a tocar com apenas 10 anos. Optar por tocar um instrumento foi uma das melhores escolhas da minha vida pois, a partir dela, pude conhecer um mundo totalmente novo que expandiu meus horizontes. Dessa forma, foi possível enxergar a magia por trás de cada melodia e perceber como a música está em tudo que nos cerca, seja numa canção ou, até mesmo, no canto dos pássaros. Tocar um instrumento requer muita determinação, pois é necessário dedicar-se não só à prática, mas também à teoria. No início pode parecer difícil realizar certas técnicas ou tocar na velocidade certa, mas não há nada que uma rotina de repetições não resolva. E, assim como acontece na música, é necessário dedicação para que possamos concretizar os nossos planos na vida e nos tornarmos melhores e mais experientes a cada dia. Por isso, o Professor Sandro é uma pessoa que admiro muito, pois além de ser alguém muito especial para nós, é também alguém que se procura difundir a magia que há no som para, assim, tocar os corações de todos à sua volta.

    • Você sabe o quanto eu admiro vocês e ainda poder fazer parte do desenvolvimento de vocês é muito gratificante. Eu que parabenizo você Luma e seu irmão pelo empenho e dedicação a música. Um bom professor sem bons alunos é como um bom instrumentista sem instrumento. Kkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *